Após denúncia de Vereadores, o Ministério Público abre investigação sobre desvio de dinheiro público nos Governos Toshio e Belkis.

Esquema é investigado (Foto: Reprodução / TV TEM)

Mesmo após a instauração de uma CPI - Comissão Parlamentar de Inquérito que apurava a suposta sonegação de ISS - Imposto Sobre Serviços pela AVOA - Auto Viação Ourinhos Assis no ano de 2013, além de diversas outras denúncias e inclusive um homicídio até hoje não esclarecido, do funcionário público Reginaldo Antonio Maximiano que exercia a função de fiscal do transporte público na cidade, não se tinha notícia de nenhum inquérito aberto visando apurar tais denúncias.

Recentemente, após a Câmara de Vereadores esclarecer uma significativa divergência nos dados relacionados à compra de vales-transporte da prefeitura de Ourinhos, apurando um suposto desvio de quase 4 milhões de reais, encaminharam toda a documentação para o Ministério Público local, que finalmente decidiu abrir um inquérito para investigar o suposto esquema de desvio de dinheiro na compra de vales-transporte para servidores municipais.

Durante quatro anos a Prefeitura de Ourinhos comprou da empresa de transporte coletivo, mais cartões de passe de ônibus do que o necessário para a quantidade funcionários. Pela fraude a prefeitura perdia por mês aproximadamente R$ 80 mil. Por enquanto, apenas um servidor foi exonerado. Foram treze meses de cálculos, mas a conta não fecha. 


MP investiga desvio de dinheiro na compra de vales-transporte (Foto: Reprodução / TV TEM)

A prefeitura abriu uma sindicância para saber onde foram parar mais de R$ 3,6 milhões do vale transporte dos funcionários públicos. “Demos conta que veio uma quantidade superior de cada um do que se imaginava. Sobrou uma quantidade de cartões que foi devolvido para a empresa”, explica o atual secretário de administração Antônio Carlos Gregório.

O déficit foi encontrado nas contas da prefeitura entre 2009 e 2013. Toshio Misato (PSDB) foi prefeito entre 2009 e 2012, e o esquema continuou durante a gestão da atual prefeita Belkis Gonçalves Santos Fernandes (PMDB) (foto). 


Toshio Misato e Belkis Fernandes.

O mistério fez a Câmara de Ourinhos abrir nova CPI para investigar o caso e as conclusões também apontam o sumiço do dinheiro público, segundo o presidente da câmara Roberto Tasca. “Nós pegamos o número que era comprado, o número do que era distribuído e as sobras. E essas sobras nunca apareciam. Um cálculo mensal era um desvio de R$ 80 mil por mês e descobrimos também que tinha funcionário público envolvido.”

O promotor de justiça não quis gravar entrevista, mas informou aos órgãos de imprensa que já estaria ouvindo testemunhas. Na prefeitura, as suspeitas de desvio já provocaram a exoneração de um funcionário, que não teve o nome divulgado. Outros dois funcionários foram transferidos de setor e um deles pediu demissão, segundo o secretário de administração. “Ele que cuidava dessa área. Essa foi uma falha administrativa cometida por ele. Agora cabe aos órgãos competentes verificar de onde saiu e para onde foi tudo isso.”

Em nota, o ex-prefeito, Toshio Misato (PSDB), nega que tenha cometido qualquer irregularidade com a verba do vale transporte. Por telefone, disse que nunca recebeu nenhuma denúncia e nem foi chamado para falar sobre o caso, mas quer que, caso seja comprovado o desvio os responsáveis sejam punidos.

A empresa Avoa informou que trata-se de investigação exclusiva sobre funcionários da prefeitura de Ourinhos e que prestou todas as informações e apresentou todos os documentos pedidos pela prefeitura e pela CPI.

Difícil crer, como tenta fazer o atual Secretário de Administração, que o suposto desvio tenha sido praticado por apenas um funcionário e principalmente se não houve responsabilidade de seus superiores que não notaram o desaparecimento de vultosa quantia de dinheiro ocorrida durante vários anos. Vale lembrar que entre os anos de 2009 a 2012 o Secretário de Administração em Ourinhos foi o Sr. André Luis Camargo Mello, atual Secretário da Saúde no Município, substituído em 2013 pelo Sr. José Luis Teixeira Quenca, atual chefe de gabinete. De março de 2014 até os dias atuais, a pasta é comandada pelo atual Secretário Sr. Antonio Carlos Gregório (foto).


José Luís Quenca,  André Luís Camargo Mello e Antônio Carlos Gregório.


Fonte: TV TEM

Nenhum comentário

Regras para comentar

• Faça comentário em relação ao tema abordado na postagem.
• Não serão publicados comentários com erros de ortográficos e escritos EM CAIXA ALTA.
• Não serão publicados comentários com propagandas e spans.
• Não serão publicados comentários obscenos, ilegais e ofensivos.

A Equipe do Jornal Tribuna de Ouro agradece sua colaboração.

Contato: tribunadeouro@gmail.com

Tecnologia do Blogger.